6/29/2014

300: Rise of an Empire - (Ainda bem que não fui ao cinema )




Andava ansiosa para que saísse o "300: Rise of an Empire", queria ir ver ao cinema e tudo.
Gostei imenso do antecessor "300", filme que vi várias vezes, por isso estava bastante entusiasmada com este.
Que desilusão! A única coisa que se manteve interessante foi a fotografia porque, o resto, dos personagens à história, foi muito insuficiente. O filme teve um ritmo estranho, demasiadas lutas e cenas de ação desprovidas de beleza e de sentido. Não gostei mesmo nada. Posso afirmar que este filme não se compara minimamente com o outro.

A história é engraçada e os personagens novos poderiam ser bastante cativantes mas, a forma como são apresentados na história é muito superficial, destituída da sensíbilidade artística com que fomos brindados no primeiro filme.

Custa-me a acreditar que tenham alguns dos mesmos escritores do "300": Zack Snyder, Kurt Johnstad e Frank Miller. Se calhar, os dois que faltam neste filme (Michael Gordon e Lynn Varley) é que fizeram o trabalho melhor no "300". Ou então é porque o realizador foi Noam Murro em vez de Zack Snyder.

Bem bom que não fui gastar dinheiro ao cinema. Agora que estou de dieta, nem teria as pipocas para consolo.

Como diz o vinil, temos vários tipos de filmes de continução: as sequelas, as prequelas e as balelas. Este é, decisivamente, do último tipo.

3 comentários:

Raquel disse...

Really?! Eu gostei... não tanto como o primeiro, mas achei muito bom... temos que fazer uma tertúlia sobre isso brevemente :P

Purpurina disse...

@Raquel, ah temos aqui um outro caso semelhante ao do "Ganso Preto"! :)

Raquel disse...

Yes indeed! ;)