2/08/2015

Dicas de poupança na conta de eletricidade ou como ter a cara escavacada em três tempos



                                  
 
Cá em casa somos muito poupadinhos. Não só no que diz respeito ao dinheiro mas também ao tempo. Assim sendo, banhos coletivos (entenda-se com a participação de duas pessoas) são uma ocorrência muito comum.
O homem da casa é conhecido pelas suas extraordinárias qualidades mas, também, por ser um pouco distraído (entenda-se muito trapalhão). Ou isso ou ando a ser vitima de violência doméstica da forma mais descarada possível.
Sucede o seguinte: nos últimos dias enquanto, de olhos fechados, massajo tranquilamente a cabeça cheia de espuma, sou brindada com uma valente cotovelada num olho, ou uma murraça no queixo, ou uma estridente dedada no nariz. Claro que o meu amável companheiro de banhos fica adequadamente consternadíssimo quando isso acontece. E eu adequadamente a ver estrelas. 
Se o homem não deixar de se esfregar como se estivesse a fazer a dança da chuva acho que vou passar a tomar banho de capacete. 

2 comentários:

Raquel disse...

Linha de Apoio à Vítima de Violência Doméstica (APAV): 707 20 00 77 das 10h às 13h/ 14h às 17h dias úteis

Inês Tomé disse...

Cá em casa passa-se o mesmo, com uma agravante: o cotovelo do "agressor" é do tamanho da minha cara ;)